Menino prodígio consegue patrocínio graças às suas invenções

Um rapaz somali de 13 anos, ainda no terceiro ano, constrói brinquedos eletrónicos a partir de lixo

Chama-se Guled Adan Abdi, tem 13 anos, e já se tornou famoso na Somália. Tudo graças aos brinquedos eletrónicos que constrói a partir de plástico de garrafas velhas de óleo de cozinha, conforme conta a BBC.

Oriundo de uma família pobre, órfão de pai e a frequentar a escola de forma intermitente (está no terceiro ano, frequentado por crianças de oito anos), este menino já foi até recebido pelo presidente da região somali de Puntlândia, no nordeste do país, que lhe prometeu que o seu governo iria financiar a sua educação. E até a mãe, que via nas criações do filho uma obsessão - chegando mesmo a deitar algumas para o lixo -, considera-o agora um génio.

Autodidata, constrói brinquedos eletrónicos. "Comecei por brincar com eles sem qualquer motor. Mas depois pensei: Porque é que não os transformas em máquinas com movimento?", contou, citado pela BBC. Assim, observou os carros que passavam nas ruas da sua cidade, Buhodle, e melhorou os seus brinquedos.

Para já, tem quatro brinquedos eletrónicos, entre os quais um camião, um avião e uma ventoinha que dá luz durante a noite. Para lhes dar movimento, liga-os a uma caixa alimentada a pilhas. "Se ligar para o menos o carro anda para trás, se ligar para o mais o carro anda para a frente", explicou.

As pilhas são, aliás, o único material que tem de pagar, tendo sido a professora a grande impulsionadora das criações, ao comprar-lhe as primeiras e ao encorajá-lo a dedicar-se às suas "invenções".

"Nunca vi ninguém fazer este tipo de coisas e ninguém me ensinou. Investiguei e descobri, por exemplo, como é que as rodas dos carros viram", contou o rapaz, que agora procura quem o ajude a comprar material e a vender os seus modelos.

Para o futuro, o sonho é um: produzir carros verdadeiros.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG