"Matrimónio é entre um homem e uma mulher". Merkel vota contra casamento homossexual

Chancelar alemã votou contra a legalização do casamento homossexual, mas deu liberdade de voto aos conservadores

A chanceler alemã Angela Merkel votou contra o diploma aprovado hoje no parlamento alemão que legaliza o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Apesar de ser contra esta medida, Merkel deu liberdade de voto aos membros do seu partido conservador e mais de 70 deputados do União Democrata-Cristã votaram a favor.

"Para mim, sob os olhos da lei, o casamento deveria ser entre um homem e uma mulher e foi por isso que não votei a favor do diploma de hoje", disse a chanceler numa conferência de imprensa após a votação.

"Espero que a votação de hoje não só promova o respeito por opiniões diferentes mas também traga mais coesão social e paz", continuou Merkel.

A chanceler admitiu ainda que casais do mesmo sexo deveriam poder adotar crianças, algo que também foi legalizado pelo diploma aprovado.

Durante a campanha eleitoral de 2013, Merkel declarou ser contra a adoção de crianças por parte de casais homossexuais pois estava preocupada com o bem-estar das crianças, segundo a BBC. Recentemente, a chanceler disse ter tido uma "experiência que mudou tudo" quando foi jantar com um casal lésbico que cuidava de oito crianças num lar de acolhimento.

A Alemanha aprovou a união de facto por casais homossexuais em 2001. O partido conservador de Merkel permanecia resistente à alteração desta lei até agora.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG