Maior ponte do mundo liga Macau a Hong Kong e é inaugurada terça-feira por Xi Jinping

Ponte com 55 Km começou a ser construída em 2011 e a sua abertura esteve prevista várias vezes. Foi adiada por vários problemas, como acidentes de trabalho, uma investigação de corrupção, obstáculos técnicos e derrapagens orçamentais. Será, finalmente, inaugurada esta terça-feira pelo presidente chinês, abrindo ao trânsito no dia seguinte

O presidente chinês Xi Jinping inaugura esta terça-feira a maior ponte sobre o mar do mundo, após vários adiamentos da data prevista para abertura. A ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, com 55 quilómetros - incluindo um túnel subaquático de 6,7 quilómetros - vai ligar as duas regiões administrativas especiais da China e Zhuhai, cidade vizinha de Macau, onde Xi vai presidir à cerimónia de inauguração.

A construção começou em 2011 e previa-se a abertura para 2016, mas vários problemas, como acidentes de trabalho, uma investigação de corrupção, obstáculos técnicos e derrapagens orçamentais obrigaram a um adiamento da inauguração.

Presidente corta a fita

Trata-se de uma obra de engenharia sem par que consubstancia também um projeto político e económico de integração da zona do Delta do Rio das Pérolas, no Sul da China, no âmbito do plano da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau.

O anúncio da data oficial teve lugar há apenas cinco dias, após muita especulação, tendo sido desde logo sugerido - o que veio a ser confirmado - que Xi Jinping iria estar presente.

O presidente, que também é secretário-geral do Partido Comunista da China (PCC), iniciou uma visita a Guangdong esta segunda-feira, naquela que é sua primeira vinda à província mais rica da China nos últimos seis anos.

A agência Xinhua refere que Xi esteve em Zhuhai - uma das primeiras zonas económicas especiais da China que serviram de balão de ensaio às reformas económicas nos anos 1980 - para visitar parques industrias de alta tecnologia.

Cerimónia restrita

A data da inauguração apanhou de surpresa muita gente, incluindo as operadoras de autocarros responsáveis pelo transporte de passageiros na ponte. Os últimos dias têm sido marcados por uma corrida contra o tempo para que às 09.00 de quarta-feira, dia 24 de outubro, a ponte abra ao trânsito. Todavia, a circulação estará sujeita a um sistema de quotas: 300 veículos para Hong Kong e 600 designados para Macau.

Os restantes cidadãos podem utilizar os cerca de 200 autocarros que efetuarão a viagem em regime de "vaivém" e uma centena de táxis.

Apenas um grupo restrito de dirigentes das três cidades e do governo central marcará presença, incluindo os chefes do executivo de Macau, Chui Sai On, e de Hong Kong, Carrie Lam.

Um grupo selecionado de órgãos de comunicação social testemunhará o momento histórico, tendo ficado de fora os jornais portugueses de Macau, que não receberam convite, segundo apurou o PLATAFORMA.

A abertura da ponte da ponte surge três dias depois da morte diretor do Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau, Zheng Xiaosong, que foi encontrado sem vida na noite de sábado, na sequência de uma queda do seu apartamento, de acordo com uma nota das autoridades chinesas, que adiantaram que o mais alto representante de Pequim no antigo território administrado por Portugal sofria de depressão.

Em Macau

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.