Macedónia vai ter de mudar de nome? País já tem quatro opções

Disputa com a Grécia dura há mais de 25 anos

A Macedónia está a analisar quatro opções para resolver uma disputa de décadas com a Grécia por causa do nome, disse esta terça-feira o primeiro-ministro Zoran Zaev em entrevista à Reuters.

A Antiga República Jugoslava da Macedónia (FYROM, na sigla em inglês), e a Grécia concordaram em aprofundar as negociações para resolver a disputa, que frustrou a ambição de Skopje de se juntar à NATO e à União Europeia.

Atenas, como todos os membros de ambas as organizações, tem um veto sobre admissões, e é contra a utilização do nome Macedónia, argumentando que, juntamente com artigos na constituição do país, poderia implicar reivindicações territoriais sobre uma região do norte da Grécia com o mesmo nome.

A Macedónia espera que o problema possa ser resolvido a tempo para uma reunião da UE em junho e outra NATO em julho e propõe a utilização de um "qualificador" geográfico para assegurar uma clara diferenciação entre os dois nomes.

"As sugestões são a República da Macedónia do Norte, a República da Alta Macedónia, a República de Macedónia Vardar [rio que atravessa os dois países] e a República da Macedónia (Skopje)", disse Zaev em entrevista à televisão depois de participar numa reunião sobre os Balcãs Ocidentais em Londres.

Questionado sobre se a Grécia ficará feliz com alguma destas opções, acrescentou: "Sim... Eles têm opções que gostam mais e outras de que gostam menos (em termos do nome)".

Zaev disse que a questão que subsiste é se há uma "necessidade real" de mudar a constituição da Macedónia, algo que a Grécia também pediu nos últimos meses.

Exclusivos