Líderes do G7 visitam santuário e plantam árvores

Cimeira que junta EUA, França, Canadá, Alemanha, Itália, Reino Unido e Japão, além da União Europeia, termina amanhã.

Os líderes do G7 visitaram hoje o santuário xintoísta de Ise, considerado um dos mais sagrados locais do Japão, antes do início da cimeira que dura até sexta-feira.

Os responsáveis da Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Reino Unido e União Europeia foram recebidos pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, no recinto religioso localizado numa zona montanhosa e de bosques na prefeitura de Mie, no centro do país.

O líder nipónico aguardou a chegada de cada chefe de Governo sob um dos "torii" (arco sagrado) que marca a entrada do espaço, e apertou a mão de todos -- o primeiro a chegar foi o Presidente francês, François Hollande, e o último o seu homólogo norte-americano, Barack Obama.

Um a um, guiados por um sacerdote xintoísta vestido de branco, os líderes cruzaram a ponte Uji sobre o rio Isuzu, que, segundo a crença popular, serve de fronteira entre o reino dos deuses e o mundo material.

Obama, ao ser o último a chegar, foi acompanhado por Abe, e foi possível ver os dois conversarem enquanto caminhavam sobre a ponte de madeira de 100 metros, depois da reunião bilateral que mantiveram na quarta-feira.

Os líderes participaram depois no ato simbólico de plantar uma árvore no jardim, atravessaram a pé parte do recinto e visitaram em Kotai o edifício principal onde se presta culto a Amaterasu, deusa do sol, há cerca de dois milénios.

Consciente de que a eleição do santuário poderia despertar críticas do exterior, sobretudo devido ao facto de o xintoísmo ter sido a religião oficial do Japão Imperial, o Governo nipónico esforçou-se por apresentar o ato como uma visita mais ligada à tradição e cultura do Japão do que à religião.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG