Líder supremo do Irão diz que EUA estão "a sabotar" acordo nuclear

Os americanos agem de forma "iranofóbica", disse Alí Jameneí, e impedem o comércio internacional com o Irão

O líder supremo iraniano, Alí Jameneí, disse que os Estados Unidos estão a tentar "sabotar" o acordo nuclear alcançado entre o Irão e diversos países e que Washington só se comprometeu "no papel", noticia hoje a imprensa local.

Durante um encontro com trabalhadores iranianos, Jameneí, líder máximo político e religioso do Irão, afirmou que apesar dos acordos nucleares, a "hostilidade" contra o Irão por parte de Israel e dos Estados Unidos continua "a colocar obstáculos" ao desenvolvimento do país e que por isso "a desconfiança" em relação a Washington permanece, segundo as notícias publicadas.

Jameneí referiu-se em concreto aos obstáculos que ainda impedem os bancos iranianos de operar fora do país e, particularmente, à recusa das entidades financeiras europeias trabalharem com o Irão, por medo de alegadas sanções dos Estados Unidos da América.

O líder iraniano acusou os EUA de impedirem o comércio internacional com o Irão apesar dos acordos assinados. "No papel, os americanos dizem que se pode trabalhar com o Irão", mas "na prática agem de forma 'iranofóbica'", para impedir qualquer comércio com o país, afirmou.

Na semana passada, após uma reunião com o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano em Nova Iorque, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, afirmou que nenhum banco não norte-americano será sancionado por trabalhar com o país.

No início de abril, a vice-presidente da Comissão Europeia, Federica Mogherini, visitou Teerão e afirmou que a UE vai fazer lóbi para que os bancos europeus trabalhem com o Irão, sem medo de represálias norte-americanas.

Mogherini reconheceu que o Irão deve ter os mercados financeiros mundiais abertos enquanto cumprir o acordo nuclear que foi assinado e que levou ao levantamento de sansões internacionais e da ONU.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG