Kremlin nega que Putin tenha falado com Trump sobre prostitutas

O governo de Vladimir Putin nega que este tenha falado sobre o caso com o chefe e Estado norte-americano, quando este ainda não era presidente.

O Kremlin negou que o Presidente russo, Vladimir Putin, tenha falado sobre as prostitutas russas com o seu homólogo norte-americano, Donald Trump, quando este ainda não tinha chegado à Casa Branca.

"Se está escrito assim no livro, então, no mínimo, esse pedaço não corresponde à realidade", afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, aos jornalistas.

Peskov acrescentou: "O presidente Putin não podia ter dito isso e não o disse ao presidente Trump".

O ex-diretor da polícia federal dos EUA (FBI, na sigla em inglês), James Comey, aludiu a esse alegado diálogo entre Putin e Trump em documentos em que recolheu, de forma detalhada, as conversas que teve com este.

Segundo estes apontamentos, Trump admitiu a Comey que o presidente russo lhe disse textualmente "a Rússia tem as prostitutas mais bonitas do mundo".

O Departamento de Justiça dos EUA entregou hoje aos líderes de três comissões da Câmara dos Representantes documentos que detalham sete conversas entre Trump e Comey e que são, alegadamente, uma parte central da investigação sobre o dito conluio dos russos com a campanha eleitoral de Trump.

A Rússia tem as prostitutas mais bonitas do mundo.

O alegado encontro de Trump com prostitutas em 2013 no hotel Ritz Carlton de Moscovo foi mencionado originalmente num dossier elaborado pelo ex-espião britânico Christopher Steele.

Em janeiro de 2017, Putin denunciou a intenção de retirar legitimidade a "convincente" vitória eleitoral de Trump com alegações como os seus supostos encontros com "prostitutas" num hotel moscovita.

Então, recordou que quando Trump vinha a Moscovo há vários anos era empresário, não politico, e realçou que se desconhecia se tinha "ambições políticas".

Quanto ao alegado encontro com "prostitutas", Putin garantiu que Trump "é um homem adulto e, além disso, uma pessoa que organizou durante muitos anos concursos de beleza".

A propósito, destacou que o presidente norte-americano "relacionava-se com as mulheres mais belas do mundo", adiantando: "Custa-me muito imaginar que tenha ido a um hotel para se reunir com as nossas raparigas de baixa moral. Sem qualquer dúvida, são as melhores do mundo, mas duvido que Trump tenha caído nisso".

O chefe do Kremlin classificou a prostituição como "um lamentável fenómeno social", mas garantiu que os que fazem acusações falsas e as utilizam na luta política "são piores que as prostitutas e não têm limites morais".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG