Autor de ataque em Hamburgo acusado de homicídio

Homem atacou em julho várias pessoas num supermercado da cidade alemã. Foi acusado da morte de uma pessoa e ainda de seis tentativas de homicídio

O Ministério Público federal alemão acusou hoje de homicídio e de seis tentativas de homicídio o palestiniano que em julho atacou com uma faca várias pessoas num supermercado em Hamburgo, movido alegadamente pelo ódio aos cristãos.

O acusado, de 26 anos e identificado como Ahmad A., atacou as pessoas movido pelo "ódio cego" e com clara intenção de se vingar em cidadãos cristãos pelas injustiças que, segundo o atacante, são cometidas em Israel e outras partes do mundo contra os muçulmanos, de acordo com a acusação formal do Ministério Público alemão.

No ataque em Hamburgo, o acusado matou uma pessoa e deixou outras seis pessoas gravemente feridas.

Segundo um comunicado do Ministério Público, o réu tinha a intenção de matá-las "covardemente e impulsionado pelos mais baixos motivos".

Com esta ação, pretendia "juntar-se" aos ataques realizados pelos radicais islâmicos e à sua causa, assim, propôs-se a "matar tantos cristãos alemães quanto possível", sendo um ato contra a segurança nacional alemã.

O Ministério Público constatou nas investigações que não existe nada que prove algum vínculo do acusado com organizações terroristas, como o Estado Islâmico (EI).

O ataque ocorreu a 28 de julho numa filial da cadeia de supermercados Edeka, num bairro de Hamburgo, e o palestiniano foi detido graças à intervenção de outros cidadãos, que o subjugaram até a polícia chegar ao local do ataque.

O palestiniano era um refugiado com um pedido de expulsão pendente e, no albergue onde estava alojado, um centro com 600 refugiados, era conhecido como uma pessoa de comportamento complexo e instável.

O agressor entrou na Alemanha em 2015 por Dortmund e permaneceu em Hamburgo, onde em 2016 viu o seu pedido de asilo rejeitado. Desde então, esperava pela expulsão, mas a ordem não foi efetivada porque o acusado não tinha os papéis em ordem.

A vítima mortal do ataque no supermercado foi uma alemã de 50 anos, sobre a qual o agressor se lançou sem dizer uma palavra e que faleceu no local. Logo depois, lançou-se sobre as outras seis pessoas.

Exclusivos