Juncker e Tusk felicitam recém-eleito Presidente ucraniano

Os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e do Conselho Europeu, Donald Tusk, congratularam-se esta segunda-feira a eleição do novo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, falando numa "conquista política" que tem como desafio a "integridade territorial da Ucrânia".

Numa carta conjunta enviada ao recém-eleito, hoje divulgada, os dois líderes felicitam Volodymyr Zelensky "em nome da União Europeia [UE]".

Expressando "apreço pela forte preservação da democracia e do Estado de direito que o povo da Ucrânia demonstrou ao longo do processo eleitoral", Juncker e Tusk falam numa "grande conquista de âmbito político, económico e de segurança".

Porém, a vitória de Volodymyr Zelensky tem "como pano de fundo desafios contínuos à integridade territorial da Ucrânia", assinalam, ressalvando que, apesar do "progresso significativo feito nos últimos cinco anos desde a Revolução da Dignidade na Ucrânia, ainda há muito a fazer para se conseguir a Ucrânia pacífica, democrática e próspera que os seus cidadãos pediram".

"Enquanto Presidente da Ucrânia, pode contar com o forte apoio da UE à reforma das políticas da Ucrânia, incluindo a consolidação do Estado de direito, o combate à corrupção, a manutenção da estabilidade macrofinanceira e a prossecução da necessária reestruturação do setor da energia", garantem os presidentes da Comissão Europeia e do Conselho Europeu.

Juncker e Tusk asseguram também "o apoio contínuo e firme da UE à soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia".

Os responsáveis despedem-se endereçando "os mais sinceros votos para um mandato de sucesso" e manifestam a intenção de se reunir com o novo Presidente ucraniano "na data mais próxima e mutuamente acordada".

O humorista e estreante na política Volodymyr Zelensky foi o vencedor das presidenciais ucranianas de domingo, naquela foi a segunda volta das presidenciais disputada por dois candidatos.

As sondagens à boca das urnas apontavam, desde logo, para uma vitória expressiva do ator Volodymyr Zelenskiy, que terá conseguido 73,2% dos votos contra 25,3% de Petro Poroshenko, o atual presidente, que se recandidatava a um novo mandato.

No domingo, Volodymyr Zelensky declarou que deseja "relançar" o processo de paz com a Rússia no conflito em curso no leste separatista pró-russo do país.

"Vamos avançar com o processo de Minsk, vamos relançá-lo", declarou, na primeira conferência de imprensa após a votação, numa alusão aos acordos de paz assinados em fevereiro de 2015 sob a égide de Kiev, Moscovo, Paris e Berlim.

O Presidente cessante, Petro Poroshenko, reconheceu a derrota e felicitou o adversário, prometendo, no entanto, não deixar a vida política.

País com 45 milhões de habitantes às portas da UE, a Ucrânia, ex-república soviética, é hoje considerada um dos Estados mais pobres da Europa e a desconfiança face às instituições políticas parece ter contribuído para a eleição de um "candidato atípico".

Volodymyr Zelensky vai encontrar, por isso, um país confrontado com desafios colossais, em particular a guerra no Leste, as grandes dificuldades económicas e o combate à corrupção.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG