Japão deteta primeiros casos da nova estirpe provenientes do Reino Unido

Os cinco infetados estão atualmente em isolamento, sendo que apenas um apresenta sintomas da doença.

As autoridades do Japão anunciaram esta sexta-feira que detetaram pela primeira vez vários casos da nova estirpe do SARS-CoV-2, em viajantes que chegaram ao país provenientes do Reino Unido.

A informação é da ministra japonesa da Saúde, Norihisa Tamura, que avançou que foram detetados cinco casos da nova estirpe do coronavírus quando os passageiros passaram pelos serviços de controlo em dois aeroportos japoneses, entre os dias 18 e 21 de dezembro.

De acordo com Norihisa Tamura, os cinco infetados estão atualmente em isolamento, sendo que apenas um apresenta sintomas da doença

A governante detalhou, em conferência de imprensa, que dois dos casos apareceram nas análises que fizeram aos passageiros do aeroporto de Haneda, em Tóquio, no dia 21 de dezembro, e os outros três em Kansai, na província de Osaka, no dia 18.

Os cinco passageiros apresentaram testes positivos para a covid-19 na chegada ao Japão e os testes subsequentes confirmaram que eram portadores da nova estirpe.

A ministra não avançou pormenores sobre a identidade ou nacionalidade dos infetados com a nova variante do coronavírus, aparentemente muito mais contagiosa do que a que surgiu no final do ano passado na cidade chinesa de Wuhan.

O Japão proibiu a chegada de estrangeiros do Reino Unido desde quinta-feira, mas aquela restrição não afeta os japoneses provenientes daquele país, nem residentes estrangeiros no Japão.

A África do Sul, onde também já foi detetada a nova estirpe do vírus, anunciou hoje a mesma proibição.

De acordo com os dados oficiais mais recentes, o Japão conta com cerca de 215.000 pessoas infetadas até ao momento e com 3.197 mortes por covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.743.187 mortos resultantes de mais de 79,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG