Itália e Alemanha estão a retirar cidadãos do Sudão do Sul

Os dois países estão a usar meios da Força Aérea para retirar cidadãos, por causa dos conflitos internos

A Itália e a Alemanha disponibilizam hoje meios aéreos para retirarem cidadãos europeus do Sudão do Sul, país abalado nos últimos dias por confrontos políticos.

Um avião da Aeronáutica Militar italiana arrancou hoje de manhã com 30 passageiros italianos e europeus a bordo, da capital Juba, em direção a uma base militar no Djibuti, de onde vão ser redistribuídos para os respetivos destinos, segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros italiano.

A Alemanha também está a usar meios da Força Aérea para transportar os cidadãos alemães e internacionais para fora do Sudão do Sul.

"A unidade de crise do Governo alemão decidiu retirar alemães e cidadãos europeus e internacionais do Sudão do Sul. A evacuação está em curso e está a ser tratada por meios aéreos, usando aviões da força aérea alemã", disse o Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão.

A capital do Sudão do Sul e localidades vizinhas têm sido cenário de uma serie de confrontos entre as forças leais ao Presidente Salva Kiir e ao vice-presidente, da oposição, Riek Machar, que mataram mais de 300 pessoas.

Na segunda-feira, o Presidente ordenou um cessar-fogo com efeito imediato, seguido por uma ordem idêntica do vice-presidente às suas tropas.

Os confrontos, os primeiros em Juba entre o exército e ex-rebeldes desde que Machar regressou em abril à capital sul-sudanesa para ocupar o cargo de vice-presidente num governo de união, obrigaram cerca de 10.000 pessoas a fugirem da violência na capital, segundo a ONU.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG