Israel vai criar colonato nos Golã com o nome Donald Trump

Presidente dos EUA reconheceu, em março, a soberania israelita sobre a parte ocupada dos montes Golã

O primeiro-ministro israelita anunciou este domingo o início do processo para criar um novo colonato judaico no território sírio ocupado dos montes Golã, com o nome do presidente dos EUA, que em março reconheceu a soberania de Israel sobre aquele território.

"Prometi que iríamos estabelecer uma comunidade com o nome e em honra do presidente [Donald] Trump. Quero informar que já selecionamos um lugar nas colinas dos [montes] Golã, no qual será estabelecida esta nova comunidade e já iniciámos o processo", afirmou Bejamin Netanyahu à imprensa ao início da manhã deste domingo, antes da reunião semanal com o seu governo.

"Enviarei uma decisão para aprovação oficial pelo novo Governo, assim que este seja formado", acrescentou Netanyahu, citado pela agência de notícias espanhola EFE.

O anúncio de Donald Trump foi polémico, uma vez que contradiz o consenso internacional até então de não reconhecer os montes Golã, ocupados desde 1967, como território israelita.

O primeiro-ministro assinalou ainda que Israel comemorará esta semana o primeiro aniversário da abertura da embaixada dos EUA em Jerusalém, que será concluída em breve com a transferência da residência oficial do embaixador, David Friedman, mostrando novamente a sua gratidão para com Donald Trump "por esta decisão histórica".

Exclusivos