Israel aprova construção de edifício na zona leste de Jerusalém

A aprovação deste edifício acontece horas depois de uma comissão do mesmo município ter adiado uma votação sobre a construção de cerca de 500 casas em outros bairros daquela área

As autoridades municipais israelitas de Jerusalém aprovaram hoje a construção de um edifício para colonos judeus num bairro palestiniano na zona leste daquela cidade, afirmou uma organização não-governamental (ONG) israelita opositora da política de colonatos.

A aprovação deste edifício de quatro andares para o bairro palestiniano de Silwan, na Jerusalém Oriental ocupada (e reivindicada pela Autoridade Palestiniana), acontece horas depois de uma comissão do mesmo município ter adiado uma votação sobre a construção de cerca de 500 casas em outros bairros daquela área, precisou a organização Ir Amim.

A decisão ocorre momentos antes do ainda secretário de Estado norte-americano, John Kerry, fazer um discurso em Washington sobre as suas ideias para um acordo de paz entre israelitas e palestinianos.

Na passada sexta-feira, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou uma resolução que exigia o fim "imediato" da política de colonatos israelita em Jerusalém-leste, bem como nos territórios ocupados da Cisjordânia.

Os Estados Unidos abstiveram-se na votação da resolução, posição que gerou controvérsia junto de Telavive, uma vez que Israel sempre contou com o apoio de Washington neste dossiê sensível.

Segundo a organização Ir Amim (que significa "cidade dos povos" em hebraico), o pedido de licença de construção foi apresentado por membros de uma organização religiosa ultranacionalista designada como Ateret Cohanim, que tem como meta expandir a política de colonatos em Jerusalém Oriental.

O bairro palestiniano de Silwan fica perto da Cidade Velha de Jerusalém e acolhe o importante parque arqueológico designado como "Cidade de David", onde, segundo a tradição, o rei David terá estabelecido a sua capital, a antecessora de Jerusalém.

Desde que famílias de colonos se instalaram naquele bairro, os confrontos entre judeus e palestinianos são frequentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG