Wikipedia foi totalmente banida da China

A página da Wikipedia estava bloqueada na China desde abril, mas apenas na sua versão em mandarim. Agora está proibido o acesso em todas as línguas. Para a enciclopédia online, o mundo fica "mais pobre"

A China proibiu o acesso à Wikipedia em todas as línguas. A confirmação vem da própria fundação Wikipedia, organização sem fins lucrativos. O acesso à página da enciclopédia online já estava bloqueado na China desde abril, mas só na sua edição em mandarim. Agora a proibição abrange todas as línguas. A fundação que detém a Wikipedia refere que não recebeu nenhuma notificação das autoridades chinesas.

"No fim de abril, a Fundação percebeu que a Wikipedia se tornou inacessível na China. Depois de analisar rigorosamente o nossos dados internos, confirmámos que a Wikipedia está atualmente bloqueada em todas as línguas (na China)", confirmou a organização em comunicado. "Agora, com o alargamento deste bloqueio, milhões de leitores, escritores, investigadores chineses não podem aceder a conhecimento ou partilhar os seus feitos com o mundo. Quando um país, região ou cultura é impedido de se juntar a uma conversa global na Wikipedia, o mundo fica mais pobre", lamenta a Fundação Wikipedia.

Em 2017, o acesso à Wikipedia foi bloqueado na Turquia

De acordo com a revista PC Mag, a proibição do acesso às páginas da Wikipedia na China poderá estar relacionada com a proximidade da data em que se assinala os 30 anos do massacre na Praça de Tiananmen, que ocorreu a 4 de junho de 1989. "O governo proibiu todas as referências sobre o evento em que as autoridades chinesas usaram o exército para esmagar o movimento pro-democracia liderado por estudante", escreve a revista na edição digital, citando observadores.

A enciclopédia livre e gratuita foi criada em 2001 por Jimmy Wales e Larry Sanger e esta não é primeira vez que o seu acesso é proibido. Em 2017, as páginas da Wikipedia foram bloqueadas na Turquia e já este ano o acesso à enciclopédia online tem sido intermitente na Venezuela.

Em janeiro, o governo chinês já tinha bloqueado temporariamente o Bing, o motor de busca detido pela Microsoft.

Ler mais

Exclusivos