Vladimir Putin irá como independente às presidenciais russas de 2018

Putin anunciou há uma semana a candidatura à reeleição. Presidenciais são em março do próximo ano

O Presidente russo, Vladimir Putin, anunciou hoje que irá apresentar-se às eleições de março de 2018 como candidato independente, ao falar na tradicional conferência de imprensa anual no Kremlin.

"Irei como independente, mas confio no apoio das forças políticas, dos partidos e das organizações sociais que partilham a minha visão sobre o desenvolvimento do país", disse o chefe de Estado russo, que há uma semana tinha anunciado a candidatura à reeleição.

"E, em geral, espero contar com um amplo apoio popular", acrescentou, salientando que, se for reeleito, vai modernizar a economia russa, uma vez que defende uma Rússia "virada para o futuro", através de uma economia "mais flexível" e com uma "eficiência aumentada".

O Presidente russo, também líder do partido Rússia Unida, defendeu ainda uma maior aposta nos serviços de saúde e de educação, temas que estarão, disse, "no topo das prioridades".

No entanto, o chefe de Estado russo salientou que gostaria de ver maior competição política, o que permitiria "garantir maior equilíbrio" no sistema político nacional.

Segundo analistas políticos locais, Putin tem atualmente um índice de popularidade que ronda os 80%, pelo que deverá ser reeleito nas presidenciais de março.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.