Viver ao lado de um icebergue: entre o medo e a fama

Na Gronelândia, uma enorme massa de gelo está a preocupar os habitantes, mas há quem o veja como uma oportunidade para atrair turistas.

Numa aldeia da Gronelândia, um icebergue com seis quilómetros de largura soltou-se de um glaciar. Foi há pouco mais de um mês e a população de apenas 170 pessoas está a habituar-se a viver ao lado deste gigante de gelo. As reações oscilam entre o medo de que o icebergue desabe e a oportunidade de tornar famosa Innaarsuit.

Este é o maior icebergue que surgiu no local na última década. A superfície do gigantesco bloco de gelo está coberta de fendas, algumas muito profundas, o que pode levar a que pedaços do icebergue se desprendam e provoquem um tsunami.

A inquietação tornou-se mais palpável quando o gigante começou a mover-se lentamente, apesar de agora permanecer imóvel. Os habitantes esperam a próxima lua cheia, a 27 de julho, altura em que o nível das águas deve subir e fazer que o bloco se mova novamente.

"Estou habituado a isto. Mas este [icebergue] deixa-me assustado. O meu pai ensinou-me que quando um icebergue está preso ao chão, o gelo sobre as águas fica menor, derrete e acaba por quebrar-se", conta Hans Mathias Kristensen, de 52 anos, à CNN. No entanto, a preocupação do pescador não o impede de se preparar para fazer uma viagem de dois dias no mar.

Se alguns habitantes seguem a sua rotina normal, outros olham para o icebergue como uma oportunidade. Oline Nielsen, 28 anos, tem esperança de que a massa de gelo traga fama e turistas à aldeia.

"Isto é bom. Os turistas virão para apreciar o icebergue e a natureza", diz Nielsen.

O jovem tenta contribuir para a divulgação do glaciar tirando fotografias e fazendo vídeos da nova paisagem da sua terra natal.

Ler mais

Exclusivos