Venezuela: Lusodescendente chefe das Forças Armadas desmente apoio a Guaidó

José A. Ornelas Ferreira é o Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas e é lusodescendente. No Twitter já declarou a sua lealdade ao comandante general Nicolás Maduro.

O comandante chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Venezuela é lusodescendente e já manifestou no Twitter o seu apoio e lealdade ao comandante general Nicolas Maduro.

José A. Ornelas Ferreira desfazia assim rumores de que poderia estar a dar apoio ao presidente interino Juan Guaidó na 'Operação Liberdade' que, esta manhã, apelou às Forças Armadas que se juntassem no derrube do regime de Maduro.

Ornelas Ferreira escreveu: "Como soldado desta pátria reafirmo a minha lealdade absoluta ao meu comandante general Nicolas Maduro."

Maduro, por sua vez, já respondeu aos opositores e ao país garantindo que mantém o apoio dos militares.

O ministro da Defesa, Vladimir Padrino, responsabiliza a oposição por qualquer ato de violência que ocorra a partir de agora, tendo também dito que o levantamento militar foi medíocres.

Por sua sua vez, o CEOFANB, Comando Estratégico Operacional Forças Armadas, já comunicou na sua página de facebook, que se encontra "em alerta e em completa união cívico militar, garantindo a Paz e a tranquilidade do nosso povo. O páis está calmo e assim continuará porque somos um povo unido."

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.