Etapa da Vuelta marcada por mensagens de apoio a presos da ETA

Frases foram pintadas em nove veículos da caravana oficial da prova, que está a passar pelo País Basco, e apelam à libertação dos membros ligados ao grupo terrorista que ainda estão presos

Nove veículos da caravana oficial da Volta à Espanha apareceram esta quarta-feira vandalizados com pinturas que apelam à libertação dos membros ligados à ETA que se encontram encarcerados e contra a corrida de ciclismo, noticiou o jornal ABC.

As carrinhas apareceram pintadas com as frases de ordem: "Anistia osoa" (amnistia geral) e "Alde hemendik" (Fora daqui) em duas localidades do País Basco.

De acordo com fontes do Departamento de Segurança Basco, os veículos estavam estacionados no Paseo de La Canilla, em Portugalete; e na rua Rio Castaños, em Barakaldo.

Em maio deste ano, a ETA anunciou a decisão de encerrar o seu "ciclo histórico de 60 anos". A informação constava de uma carta datada de 16 de abril, enviada a várias instituições e agentes políticos, e onde a organização revelava que "dissolveu completamente todas as suas estruturas e deu por terminada a sua iniciativa política".

"O País Basco tem agora pela frente uma nova oportunidade para encerrar definitivamente o ciclo de conflito e construir o futuro com todos", dizia o documento.

Na altura, a ETA reconheceu os "danos causados" e a "responsabilidade direta" no "sofrimento excessivo" da sociedade basca durante décadas, pelo qual pediu "sinceras desculpas".

"Causámos muita dor e danos irreparáveis, queremos mostrar o nosso respeito aos mortos, feridos e vítimas das ações da ETA. Lamentamos muito", declarou a organização, num comunicado divulgado pelos jornais espanhóis Gara e Berria.

A ETA (Euskadi ta Askatasuna ou Pátria Basca e Liberdade) matou mais de 800 pessoas durante a sua campanha para criar um Estado basco independente no norte de Espanha e no sul de França.

Ler mais

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...