Uribe deseja que Nobel a Santos permita "mudar acordo daninho"

O ex-presidente colombiano, Álvaro Uribe, principal adversário do acordo de paz assinado entre Juan Manuel Santos e as FARC já reagiu ao Nobel.

Através do Twitter, o ex-presidente felicitou o seu antigo ministro da Defesa pelo Nobel da Paz, mas disse esperar que este prémio possa permitir alterar o acordo de paz que foi assinado e recusado pelos colombianos num referendo.

"Felicito o Nobel para o presidente Santos, desejo que permita mudar os acordos daninhos para a democracia", escreveu Uribe no Twitter.

Uribe, líder do partido Centro Democrático, foi um dos principais defensores do "não" no referendo ao acordo de paz assinado entre Santos e as FARC. O ex-presidente reuniu-se na quarta-feira com o sucessor dizendo estar disponível para trabalhar num novo acordo de paz.

Uribe tornou-se no principal adversário e opositor de Santos, seu antigo delfim, no momento em que este resolveu pôr de lado a política de mão de ferro contra a guerrilha (que tinha mantido ao longo dos seus dois mandatos) e sentar-se a negociar a paz.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.