Um tweet bastou para a Miss Turquia perder a coroa

Itir Esen, 18 anos, perdeu o título de mais bela da Turquia por causa de um tweet sobre a tentativa de golpe de estado de março do ano passado.

"O período apareceu-me na manhã do dia 15 de julho do mártires. Assinalo o dia sangrando como uma representação do sangue dos mártires", escreveu Itir Esen na sua conta em julho deste ano.

Os 133 carateres do comentário foram considerados "inaceitáveis" pela organização do evento e horas depois de ter recebido a coroa, a jovem de 18 anos foi obrigada a devolvê-la. Foi considerado um insulto à memória dos que perderam a vida.

"Lamentamos informar que este tweet tenha sido publicado por Itir Esen. Não é possível para a organização de Miss Turquia promover este post, quando pretende introduzir a Turquia no mundo e contribuir para a sua imagem", leia-se no comunicado divulgado nas redes sociais e citado pelo jornal turco Hurryiet Daily e pelo britânico The Independent.

De acordo com diário britânico, a organização investigou a autenticidade do tweet. Esen terá negado que fosse seu. Uma vez confirmada, a organização decidiu retirar o título.

O comentário de Itir Esen referia-se às 250 pessoas que perderam a vida na tentativa de golpe de Estado contra Recep Tayyip Erdogan, em julho de 2016.

Na sequência destes acontecimentos, políticos, mais de 9 mil polícias foram suspensos, acusados de terem ligações ao golpe.

O DN procurou o post original, mas a conta da Miss Turquia que só o foi por algumas horas já não existe. Itir Esen era @karliekookies, de acordo com vários internautas que, contra a decisão da organização, se vão manifestando nas redes sociais Twitter e Facebook.

No Instagram encontram-se imagens da modelo em desfiles e um longo texto em turco. Segundo a BBC, Itir Esen respondeu dizendo que era uma rapariga de 18 anos, "sem intenções políticas quando partilhava o post". "Fui educada a respeitar a terra e a nação", disse, pedindo desculpa.

O site da televisão britânica recorda que esta não é a primeira rainha da beleza que enfrenta problemas com o governo de Erdogan. Merve Buyuksarac, Miss Turquia em 2006, foi condenada a 14 meses de pena suspensa em 2016 por ter insultado o presidente turco com um poema satírico que também foi partilhado nas redes sociais. Milhares de pessoas foram processadas em 2015 por alegadamente terem proferidos palavras insultuosas contra o chefe do governo.

Destituída Itir Esen, a dama de honor Asli Sümen vê concretizar-se o papel destinado a todas as concorrentes que ficam em segundo lugar e que só acontece em casos excecionais. Será ela que em novembro representará a Turquia no concurso Miss World na China.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.