UE prolonga sanções ao Irão por mais um ano

Desde 2011 que o Irão é alvo de sanções por graves violações dos direitos humanos

A União Europeia (UE) prolongou, esta quinta-feira, por mais um ano, até dia 13 de abril de 2019, as sanções impostas ao Irão por violar os direitos humanos.

Em comunicado, o Conselho da União Europeia informou que "as medidas restritivas" impostas ao Irão por "graves violações dos direitos humanos" vão ser prolongadas até dia 13 de abril de 2019.

As sanções, que estão em vigor desde 2011, consistem em restrições de viagem e congelamento de bens impostos a 82 pessoas e uma entidade, e na proibição da exportação para o Irão de equipamentos suscetíveis de serem utilizados para fins de repressão interna e de equipamento de controlo das telecomunicações.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.