UE condena ponte russa como "nova violação da soberania" da Ucrânia

Porta-voz afirmou que a infraestrutura foi construída "sem o consentimento da Ucrânia"

A União Europeia (UE) classificou como "uma nova violação da soberania" da Ucrânia a ponte que liga a Crimeia à Rússia, inaugurada hoje pelo presidente Vladimir Putin na península ucraniana anexada há quatro anos.

A Rússia construiu aquela infraestrutura "sem o consentimento da Ucrânia", frisou uma porta-voz do serviço de ação externa da UE.

"Isso constitui uma nova violação da soberania e da integridade territorial da Ucrânia pela Rússia", afirmou.

O presidente russo, Vladimir Putin, inaugurou hoje a ponte, uma obra colossal de 19 quilómetros que visa facilitar o acesso russo à Crimeia, cuja anexação pela Rússia em 2014 não é reconhecida pela comunidade internacional.

"A construção de uma ponte visa prosseguir a integração forçada da península anexada ilegalmente na Rússia e o seu isolamento da Ucrânia, de que continua a fazer parte", disse a porta-voz europeia.

A ponte, sublinhou, limita "a passagem dos navios pelo estreito de Kertch até aos portos ucranianos no Mar de Azov".

A UE "continua a condenar a anexação ilegal da Crimeia e de Sebastopol pela Rússia e não vai reconhecer esta violação do direito internacional", afirmou.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.