Turista tinha bomba da II Guerra Mundial na bagagem. Era uma recordação

Uma turista norte-americana tentou levar como "souvenir" de Áustria uma bomba da II Guerra Mundial. Resultado, as autoridades tiveram de encerrar temporariamente a zona de bagagens e chegadas do aeroporto internacional de Viena

Uma bomba da II Guerra Mundial por detonar numa mala de viagem não é algo que se veja todos os dias. Mas foi com essa bagagem "explosiva" que a polícia austríaca teve de se confrontar na segunda-feira.

O caso levou as autoridades a encerrar temporariamente a zona das bagagens e de chegadas do aeroporto internacional de Viena.

A turista norte-americana, de 24 anos, encontrou o dispositivo nas proximidades das montanhas Dachstein, na Áustria, e decidiu levá-lo como "recordação" para os EUA.

No aeroporto, a mulher declarou o objeto às autoridades alfandegárias e, de acordo com a agência France Press, foi acusada de ameaça pública por negligência. Foi chamada uma brigada antibomba para retirar o explosivo em segurança. O caso não provocou atrasos no aeroporto de Viena e nem colocou em perigo os passageiros, garantiu a polícia austríaca.

Ainda no quarto de hotel, a norte-americana terá mesmo lavado a bomba antes de a colocar na mala para que não sujasse a roupa, refere o jornal austríaco Krone​​​​​​.

A turista norte-americana acabou por ser multada em cerca de quatro mil euros por ter levado esta recordação explosiva numa mala de viagem para um aeroporto internacional, revela a estação de rádio alemã Deutsche Welle.

A descoberta desta bomba não é caso único. Mais de 70 anos depois do fim da II Guerra Mundial, continuam a ser encontrados dispositivos por explodir, o que tem levado as autoridades a ordenar a evacuação por precaução nas zonas onde as bombas são encontradas.

Foi o que aconteceu em Berlim quando, em abril, foi descoberta uma bomba da II Guerra Mundial na estação central Hauptbahnhof. A zona foi evacuada para se proceder à retirada do objeto em segurança.

Um mês antes tinha acontecido o mesmo na cidade italiana de Fano, na região de Las Marcas. As autoridades procederam à retirada de 23 mil habitantes, depois de ter sido encontrado um dispositivo por detonar numa praia.

Ler mais