Tufão Talim causa dois mortos e três desaparecidos no Japão

As chuvas fortes causaram inundações e deslizamentos de terras que já obstruíram estradas e deixaram 700 casas isoladas

Duas pessoas morreram e três continuavam esta terça-feira desaparecidas na sequência da passagem do tufão Talim pelo Japão, onde causou distúrbios na rede de transportes devido às chuvas e ventos fortes no arquipélago.

Convertido num sistema de baixa pressão atmosférica depois de ter passado no domingo a tempestade tropical, o Talim encontrava-se na madrugada desta terça-feira no extremo sul da ilha russa de Sacalina, a norte da ilha nipónica de Hokkaido, segundo os dados da Agência Meteorológica do Japão (JMA).

O 18º tufão da temporada no Pacífico tocou terra na ilha meridional de Kyushu no passado domingo antes de atravessar o oeste e centro nipónico e atingir Hokkaido na segunda-feira.

Duas pessoas morreram, três estão desaparecidas e mais de 50 ficaram feridas devido aos ventos e chuvas fortes que causaram deslizamentos de terra e inundações ao longo de todo o arquipélago japonês, indicou a estação de televisão pública NHK.

As vítimas mortais são uma mulher de 86 anos, que morreu em Kagawa (norte da ilha de Shikoku), na sequência de um deslizamento de terra, e um homem com cerca de 60 anos, arrastado para um rio dentro de um carro, em Kochi, também em Shikoku.

As autoridades locais de Kochi e Oita (na ilha de Kyushu) procuram três homens que continuam desaparecidos após terem abandonado as suas residências durante o temporal.

As chuvas fortes causaram graves inundações e deslizamentos de terras, como os registados em Oita, onde o lodo chegou a obstruir as estradas e deixou isolados cerca de 700 lares, segundo a NHK.

À sua passagem pelo Japão, o Talim também causou importantes alterações na rede de transporte do arquipélago nos últimos dois dias.

Mais de um milhar de voos nacionais foram cancelados entre o domingo e na segunda, e a rede de comboios, tanto a de alta velocidade como a local, e as ligações por ferry também foram afetadas.

Ler mais