Tufão Lan cancela centenas de voos e fecha autoestradas no Japão

As chuvas fortes provocadas pelo tufão Lan já causaram duas mortes e uma pessoa está desaparecida

As chuvas torrenciais e os fortes ventos causados pelo tufão Lan no Japão levaram esta segunda-feira ao cancelamento de centenas de voos e ao encerramento de autoestradas à circulação, além de pelo menos dois mortos e quase 90 feridos.

Lan, o 21º tufão da temporada no Pacífico, tocou terra no domingo, no leste do país, em Shizuoka, pelas 03:00 (19:00 em Lisboa), com rajadas de vento de quase 200 quilómetros por hora, segundo a Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla em inglês).

As duas principais companhias aéreas, a Japan Airlines (JAL) e a All Nippon Airways (ANA) cancelaram cerca de 170 voos domésticos e internacionais previstos para esta segunda-feira, que se juntam aos mais de 350 que não descolaram no domingo e afetaram cerca de 43 mil passageiros, noticiou a agência japonesa Kyodo.

Também foi interrompido o serviço na linha Tokaido do comboio de alta velocidade, a mais utilizada, que liga Tóquio ao oeste do país, e foram cortados diferentes troços de autoestradas na ilha principal de Honshu.

Por sua vez, o maior fabricante japonês de veículos, Toyota Motor, anunciou a suspensão das operações em fábricas de sete províncias, desde o oeste até à costa oriental do arquipélago.

As chuvas fortes e precipitações provocadas pelo tufão Lan afetaram principalmente o extremo ocidental do país, onde no domingo morreram duas pessoas em Fukuoka e Yamaguchi.

Há também uma pessoa desaparecida em Wakayama, depois de uma casa ter ficado soterrada num aluimento de terras, e cerca de 89 feridos, segundo a estação pública NHK.

Meia centena de localidades em Honshu emitiram ordens de evacuação e quase 200 recomendaram aos habitantes que se desloquem por precaução para refúgios municipais.

Boa parte da ilha principal do país continua em alerta vermelho pelas fortes chuvas e vento e a JMA alertou para a possibilidade de aluimentos de terras, aumento do caudal dos rios e ondulação forte.

Segundo a JMA, pelas 09:45 (01:45 em Lisboa), depois de atravessar o norte de Tóquio e da prefeitura de Chiba, o Lan encontrava-se novamente no Pacífico a cerca de 80 quilómetros da localidade costeira de Iwaki (cerca de 170 quilómetros a nordeste da capital nipónica), com ventos de cerca de 160 quilómetros por hora.

A agência disse esperar que o Lan, a deslocar-se em direção ao norte, venha a afetar nas próximas horas a parte oriental da ilha de Hokkaido à medida que enfraquece gradualmente.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Tempo de fugir de casa para regressar à terra

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.