Tufão enfraquece mas mau tempo continua em Macau

Balanço provisório aponta para 17 feridos. Nível das águas começa a baixar e autoridades planeiam trabalhos de limpeza

O alerta de subida do nível das águas ("storm surge") foi cancelado em Macau, numa altura em que o tufão Mangkhut continua a perder força após ter entrado em terra no Sul da China, a oeste de Macau, na província de Guangdong.

O sinal número 8 de aviso de tempestade - o terceiro mais elevado - continua içado, mas espera-se que seja substituído pelo sinal número 3 de madrugada.

O balanço provisório da Proteção Civil indica 17 feridos e quase 200 incidentes sobretudo queda de toldos, reclames, janelas e queda de árvores e andaimes e inundações, que atingiram sobretudo as zonas baixas da cidade.

Ainda não é possível ter uma ideia do verdadeiro impacto do tufão, uma vez que a fúria da tempestade entrou pela noite dentro, não havendo ainda a noção da dimensão dos estragos. Só amanhã quando o sol nascer é que a cidade vai acordar para a realidade pós-tufão. Os próximos dias vão ser de limpeza e recuperação.

O impacto do tufão já levou o Chefe do Governo de Macau a emitir um despacho no qual se determina o encerramento de todos os serviços públicos na segunda-feira, com exceção daqueles integrados na estrutura da Proteção Civil e de representação exterior.

Todas as instituições de ensino superior em Macau também decidiram suspender a sua atividade na segunda-feira.

Já as instalações culturais sob a alçada do Instituto Cultural, incluindo locais relacionados com a promoção do património, bibliotecas públicas, museus e salas de exposições, entre outras, serão encerradas na segunda e na terça-feira ao público para que se proceda à inspeção e limpeza daqueles espaços.

Uma das preocupações diz respeito ao lixos e objetos espalhados pelas ruas. As autoridades alertam para os perigos para a saúde pública assim que o nível das águas baixarem.

Numa conferência de imprensa realizada ao fim da tarde, o Chefe do Executivo de Macau, Chui Sai On, manifestou a atenção ao facto de duas mil famílias terem sido afetadas pela suspensão da eletricidade, afirmando ter dado instruções no sentido de se proceder, o mais rápido possível, à reposição da energia elétrica.

Ler mais

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."