Trump reitera confiança em acordo nuclear com Coreia do Norte

O presidente norte-americano salienta que há uma "muito boa química" entre os dois países

O Presidente norte-americano, Donald Trump, reiterou que o líder norte-coreano Kim Jong-Un pretende chegar a um acordo nuclear com os Estados Unidos, salientando haver "muito boa química" entre os dois países.

"Acho que eles estão a falar a sério sobre isso", afirmou Donald Trump, em entrevista à Fox News hoje transmitida.

"Acho que eles [Coreia do Norte] querem fazer isso. Nós temos uma química muito boa", acrescentou.

Apesar da posição de Trump, Washington manifesta alguma cautela relativamente àquilo que Pyongyang pretende.

John Bolton, assessor de segurança nacional do Presidente norte-americano, afirmou hoje que a maior parte do programa nuclear e de mísseis balísticos norte-coreano pode ser desmantelado "num ano", apesar de o país não ter dado detalhes a Washington sobre o seu arsenal nuclear.

Não há sentimento ilusório no grupo que acompanha isto, somos muitos conscientes do que os norte-coreanos fizeram no passado.

Bolton, que esteve presente na cimeira do passado dia 12 de junho entre Trump e Kim Jong-Un, falava durante uma entrevista dada à cadeia de televisão norte-americana CBS News, sublinhando que a Casa Branca toma as negociações com cautela.

Entretanto, os serviços de informações dos Estados Unidos dispõem de informações segundo as quais a Coreia do Norte estará a tentar esconder parte do arsenal nuclear, de acordo com vários media norte-americanos.

O canal NBC e o Washington Post, citando várias fontes governamentais, noticiaram no fim de semana que o regime de Kim Jong-Un tinha tomado medidas para continuar a esconder alguns locais nucleares secretos, incluindo durante a cimeira de 12 de junho, quando se comprometeu a desnuclearizar a península coreana.

Segundo a NBC, o regime aumentou a produção de urânico enriquecido nos últimos meses, em paralelo com os contactos que levaram ao encontro histórico e caloroso entre os dois líderes.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.