Trump reitera apoio a candidato republicano acusado de assédio sexual

Roy Moore, que tem apoio de Trump, foi acusado de vários casos de assédio nas décadas de 1970 e 1980

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reiterou hoje o seu apoio ao candidato republicano ao Senado Roy Moore, acusado de vários casos de assédio sexual de adolescentes nas décadas de 1970 e 1980 no Alabama.

"A última coisa de que precisamos no Alabama e no Senado é um fantoche de [Chuck] Schumer e de [Nancy] Pelosi", escreveu Trump no Twitter, referindo-se aos líderes da oposição democrata no Senado e na Câmara dos Representantes.

O presidente norte-americano acusa o adversário de Moore, o democrata Doug Jones, de ser "FRACO com o crime e a fronteira", "Mau para o exército e os veteranos", "Mau" para o direito ao porte de armas e de querer subir os impostos "até ao céu".

"Jones seria um desastre!", escreveu Trump.

Jones e Moore são candidatos à eleição parcial de 12 de dezembro.

Duas mulheres acusaram Roy Moore de agressão sexual e outras cinco de assédio quando elas eram adolescentes, a mais nova de 14 anos, e ele tinha cerca de 30 anos, há cerca de quatro décadas.

Moore, atualmente com 70 anos, nega as acusações.

Donald Trump já tinha manifestado apoio a Moore na terça-feira, quando afirmou: "Ele nega completamente, diz que isso não aconteceu. E, sabe, também devemos ouvi-lo".

Desde a publicação das primeiras acusações, em 9 de novembro, no Washington Post, vários congressistas e senadores do Partido Republicano pediram a Moore que abandonasse a corrida.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.