Trump recebe nova carta de Kim Jong-un

Documento procura dar seguimento à reunião entre os dois líderes em Singapura e avançar nos compromissos já assumidos.

O presidente norte-americano, Donald Trump, recebeu na quarta-feira uma nova carta do líder norte-coreano, Kim Jong-un, na sequência da cimeira que realizaram em junho, em Singapura, indicou nesta quinta-feira a Casa Branca.

Trump escreveu nesta manhã na rede social Twitter a agradecer a Kim: "Obrigado pela sua simpática carta - espero que nos vejamos em breve!"

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que a carta "visa dar seguimento à reunião deles em Singapura" e a "avançar nos compromissos assumidos" na declaração conjunta dos líderes que lá foi feita.

A Casa Branca não fez, contudo, qualquer referência, até agora, a um novo encontro entre Trump e Kim.

O vice-presidente, Mike Pence, e os dirigentes militares receberam na quarta-feira no Havai os restos mortais de soldados norte-americanos desaparecidos durante a Guerra da Coreia.

Esta carta surge num contexto de preocupação sobre o programa de mísseis balísticos da Coreia do Norte e o seu compromisso de proceder à desnuclearização.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".