Trump recebe nova carta de Kim Jong-un

Documento procura dar seguimento à reunião entre os dois líderes em Singapura e avançar nos compromissos já assumidos.

O presidente norte-americano, Donald Trump, recebeu na quarta-feira uma nova carta do líder norte-coreano, Kim Jong-un, na sequência da cimeira que realizaram em junho, em Singapura, indicou nesta quinta-feira a Casa Branca.

Trump escreveu nesta manhã na rede social Twitter a agradecer a Kim: "Obrigado pela sua simpática carta - espero que nos vejamos em breve!"

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que a carta "visa dar seguimento à reunião deles em Singapura" e a "avançar nos compromissos assumidos" na declaração conjunta dos líderes que lá foi feita.

A Casa Branca não fez, contudo, qualquer referência, até agora, a um novo encontro entre Trump e Kim.

O vice-presidente, Mike Pence, e os dirigentes militares receberam na quarta-feira no Havai os restos mortais de soldados norte-americanos desaparecidos durante a Guerra da Coreia.

Esta carta surge num contexto de preocupação sobre o programa de mísseis balísticos da Coreia do Norte e o seu compromisso de proceder à desnuclearização.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

E uma moção de censura à oposição?

Nos últimos três anos, o governo gozou de um privilégio raro em democracia: a ausência quase total de oposição. Primeiro foi Pedro Passos Coelho, que demorou a habituar-se à ideia de que já não era primeiro-ministro e decidiu comportar-se como se fosse um líder no exílio. Foram dois anos em que o principal partido da oposição gritou, esperneou e defendeu o indefensável, mesmo quando já tinha ficado sem discurso. E foi nas urnas que o país mostrou ao PSD quão errada estava a sua estratégia. Só aí é que o partido decidiu mudar de líder e de rumo.