7,6 afirmações falsas por dia: Trump mente quatro vezes mais do que no início da presidência

Segundo a contagem do The Washington Post, o presidente americano faz em média 7,6 afirmações falsas por dia

Economia, imigração e a investigação à ingerência russa nas presidenciais de 2016. Estes são, segundo o The Washington Post, os assuntos sobre os quais Donald Trump mais mente. O diário americano garante que o número de falsidades que Trump diz tem vindo a aumentar, somando 4229 desde o início do mandato, em janeiro de 2017. Quase mil destas mentiras ou inverdades foram ditas nos últimos dois meses.

O que, sublinha o The Washington Post, dá 7,6 mentiras por dia, em média, Nos primeiros 100 dias de mandato a média era de 4,9 por dia.

Desde o dia em que Trump chegou à Casa Branca que o jornal acompanha e regista todas as mentiras ou inverdades proferidas pelo presidente num gráfico interativo criado pelos jornalistas Leslie Shapiro e Kaeti Hink.

O recorde de mentiras num só dia foi batido a 5 de julho, quando o fact checking - a verificação dos factos - do The Washington Post registou 79 fugas à verdade por parte de Trump.

A 5 de julho, Trump bateu o recorde de mentiras numa só dia: 79

Mas nem todas as mentiras são novas, afinal Trump é conhecido por repetir as mesmas afirmações vezes sem conta, seja no Twitter, a rede social que mais usa para comunicar, ou em comícios e conferências de imprensa. Há 150 afirmações falsas, garante o mesmo jornal, que o presidente repetiu pelo menos três vezes.

Nunca recuar na mentira

Em questões económicas, Trump gosta de afirmar que a queda do desemprego para valores que andam nos 4% é mérito seu e das decisões que tomou na presidência, mas na verdade esta é uma tendência que vem desde os mandatos de Barack Obama.

Mas é a imigração o assunto que mais domina as mentiras de Trump. Nos últimos cinco meses, o presidente garantiu por exemplo por mais de 30 vezes que o muro que prometeu erguer na fronteira entre os EUA e o México está a ser construído, quando na verdade o Congresso lhe negou os fundos necessários para tal.

Quando ao inquérito à ingerência russa nas presidenciais, Trump tem feito várias declarações controversas: desde chamar-lhe "caça às bruxas", a compará-la com o Watergate, o escândalo que levou Richard Nixon a demitir-se.

Mas há mais. Desde garantir que fez o maior corte de impostos na história da América, até garantir que os EUA pagam 90% dos custos da NATO.

Nada de espantar quando meses antes de Trump ser eleito, Glenn Kessler, o fact checher do Washington Post conhecido por atribuir Pinóquios aos políticos mais mentirosos, dizia numa video-conferência com jornalistas portugueses que o milionário era o único candidato que ao ser apanhado numa mentira, nunca recuava.

Ler mais

Exclusivos