Trump e as cartas de Kim Jong-un: "Nós apaixonámo-nos"

Presidente norte-americano elogiou o líder norte-coreano num comício com apoiantes na Virgínia Ocidental.

O presidente norte-americano Donald Trump levou o seu entusiasmo com a nova relação com o líder norte-coreano Kim Jong-un a um outro nível, dizendo num comício com apoiantes que ele lhe escreve "cartas lindíssimas" e que ambos se "apaixonaram".

"Eu gosto dele, ele gosta de mim", disse Trump. "Apaixonámo-nos, ok? Não, a sério, ele escreveu cartas lindíssimas e são excelentes cartas", disse Trump num comício na Virgínia Ocidental.

Os seus apoiantes riram e aplaudiram e Trump avisou que os comentadores políticos vão dizer que é "não-presidenciável" por estar a descrever Kim Jong-un de forma tão positiva.

Depois de anos de costas voltadas e de trocas de insultos - "eu estava a ser duro, e ele também", admitiu Trump -, os dois líderes iniciaram o degelo das relações com uma cimeira sem precedentes em Singapura, em junho deste ano, na qual discutiram a melhor forma de trabalhar para a desnuclearização da Península Coreana.

Em preparação está uma segunda cimeira, cuja data e local não foi ainda anunciada.

Apesar dos aparentes avanços, a Coreia do Norte ainda não cumpriu com as exigências dos EUA de revelar o inventário completo do seu programa de armas nucleares e de empreender medidas irreversíveis para desistir do seu arsenal.

Exclusivos