Trump diz que "simples acusações" estão a destruir a vida de pessoas

Presidente norte-americano não explicou a que se referia exatamente, mas a publicação no Twitter surge depois da demissão de dois funcionários da Casa Branca por denúncias de violência doméstica

Donald Trump, afirmou este sábado que "simples acusações" estão a destruir a vida de pessoas, depois das demissões de dois funcionários da Casa Branca acusados pela ex-mulheres de violência doméstica.

"A vida de pessoas está a ser destruída e destruída e por simples acusações. Algumas são verdadeiras e outras são falsas. Algumas são velhas e outras novas. Não há recuperação possível para alguém que tenha sido falsamente acusado: a sua vida e a sua carreira acabam. Será que já não existe um processo devido", questionou o Presidente dos EUA no Twitter.

O Presidente norte-americano não explicou a que se referia nas suas declarações no Twitter, onde hoje publicou várias mensagens.

No entanto, estas afirmações surgem depois da demissão de dois funcionários da Casa Branca por denúncias de violência doméstica por parte das ex-mulheres.

O primeiro a deixar o seu posto foi Rob Porter, um conselheiro do Presidente, Donald Trump, acusado por duas ex-mulheres de violência doméstica.

O caso de Porter tornou-se um escândalo porque alegadamente o chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly, e outros altos funcionários conheciam desde há meses as acusações contra aquele e mesmo assim o defenderam e apoiaram a sua promoção.

O segundo funcionário a renunciar ao cargo foi David Sorensen, cujo trabalho consistia em redigir discursos na Casa Branca, depois da ex-mulher o ter acusado de abusos físicos e psicológicos durante os dois anos e meio de casamento, segundo o Washington Post.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.