Trump diz que eleição de Pérez para o comité democrata é boa para os republicanos

Presidente dos EUA aludiu à afinidade do novo presidente dos democratas com a ala mais tradicional do partido. Mas não ficou sem resposta

O Presidente dos EUA felicitou no sábado o novo presidente do Comité Nacional Democrata, o hispânico Tom Pérez, e considerou que trará benefícios ao Partido Republicano, em alusão à afinidade de Pérez com a ala tradicional dos democratas.

"Felicidades para Thomas Perez, que acaba de ser nomeado presidente do DNC [Comité Nacional Democrata]. Não poderia estar mais feliz por ele e pelo Partido Republicano", disse Donald Trump na rede social Twitter.

Trump disse em várias ocasiões que, nas eleições de novembro, que conseguiu captar o voto de descontentamento do senador progressista Bernie Sanders, que disputou as primárias democratas com Hillary Clinton, considerada parte da velha guarda do Partido Democrata.

O próprio Pérez foi considerado como parte do "sistema" do partido devido ao apoio que deu a Hillary Clinton durante o processo das primárias e pelo facto de ela o ter apontado como candidato à vice-presidência, um cargo que acabou nas mãos do senador Tim Kaine.

Com o objetivo de se descolar dessa imagem e seduzir os progressistas do senador Bernie Sanders, Tom Perez foi buscar para a sua equipa o congressista Keith Ellison, afroamericano, muçulmano que tinha recebido o apoio da ala progressista.

Numa mensagem na rede social Twitter, Pérez respondeu à mensagem de Trump, e aconselhou-o a não se "pôr muito contente" e prometeu que ele, Ellison, e o resto dos democratas do país, vão tornar-se o seu "pior pesadelo".

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama considerou no sábado que o novo líder do Partido Democrata, Tom Pérez, será capaz de unir o partido e renová-lo com as novas gerações.

"Sei que Tom Pérez nos unirá sob uma bandeira de oportunidades e assentará as bases para uma nova geração de liderança democrata", afirmou Obama, em comunicado.

Tom Pérez, filho de imigrantes da República Dominicana, foi secretário de Estado do Trabalho da administração de Obama de 2009 a 2017.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.