70.º aniversário da Coreia do Norte sem mísseis nucleares e Trump aplaude

O presidente norte-americano, Donald Trump, saudou este domingo o desfile militar organizado em Pyongyang "sem a tradicional exibição de mísseis nucleares", agradecendo ao líder norte-coreano, Kim Jong Un, por essa iniciativa.

Milhares de soldados desfilaram hoje em Pyongyang para assinalar o 70.º aniversário da Coreia do Norte, mas o regime não fez a habitual apresentação de mísseis balísticos intercontinentais, armas que levaram à imposição de várias sanções internacionais a Pyongyang.

"É uma mensagem forte e muito positiva da parte da Coreia do Norte", escreveu no Twitter Donald Trump, considerando que o tema deste ano da parada militar foi "a paz e o desenvolvimento económico".

"Obrigado ao presidente Kim. Os dois vamos mostrar que todos estão errados", afirmou ainda. "Não há nada como um bom diálogo entre pessoas que se apreciam", acrescentou.

A República Popular Democrática da Coreia foi proclamada a 9 de setembro de 1948, três anos após a divisão da península por Washington e Moscovo, nos últimos dias da Segunda Guerra Mundial.

Há dois dias, Trump indicou que espera uma nova carta pessoal do dirigente norte-coreano, mostrando-se otimista em relação ao diálogo com Pyongyang, após a cimeira com Kim no passado dia 12 de junho, em Singapura.

No final de agosto, o presidente norte-americano cancelou uma visita do secretário de Estado, Mike Pompeo, a Pyongyang, devido a progressos insuficientes após a cimeira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

E uma moção de censura à oposição?

Nos últimos três anos, o governo gozou de um privilégio raro em democracia: a ausência quase total de oposição. Primeiro foi Pedro Passos Coelho, que demorou a habituar-se à ideia de que já não era primeiro-ministro e decidiu comportar-se como se fosse um líder no exílio. Foram dois anos em que o principal partido da oposição gritou, esperneou e defendeu o indefensável, mesmo quando já tinha ficado sem discurso. E foi nas urnas que o país mostrou ao PSD quão errada estava a sua estratégia. Só aí é que o partido decidiu mudar de líder e de rumo.