Trump ameaça sanções pesadas a Cuba pelo seu apoio a Maduro

Presidente dos Estados Unidos volta a usar o Twitter para fazer declarações políticas.

Donald Trump ameaçou nesta terça-feira Cuba com um "embargo total" e "sanções ao mais alto nível" se o regime comunista não retirar o seu apoio ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Em dois tweets sucessivos, o presidente dos EUA escreve: "Se as tropas e a milícia cubanas não terminaram imediatamente as operações militares e outras com o objetivo de provocar a morte e a destruição da Constituição da Venezuela, um total e completo embargo, juntamente com sanções ao mais alto nível, será imposto à ilha de Cuba. Esperemos que todos os soldados cubanos retirem de imediato e de forma pacífica regressem à sua ilha!"

A responsabilização do regime cubano relativamente à Venezuela tem sido um discurso recorrente na Casa Branca. Ainda neste mesmo dia o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, afirmou, em conferência de imprensa, que Cuba estava a ajudar Nicolás Maduro.

Exclusivos

Premium

Líderes europeus

As divisões da Europa 30 anos após o fim da Cortina de Ferro

Angela Merkel reuniu-se com Viktor Orbán, Emmanuel Macron com Vladimir Putin. Nos próximos dias, um e outro receberão Boris Johnson. E Matteo Salvini tenta assalto ao poder, enquanto alimenta a crise do navio da ONG Open Arms, com 107 migrantes a bordo, com a Espanha de Pedro Sánchez. No meio disto tudo prepara-se a cimeira do G7 em Biarritz. E assinala-se os 30 anos do princípio do fim da Cortina de Ferro.