Trump afasta Steve Bannon do cargo de estratega da Casa Branca

Bannon era uma das figuras mais polémicas da administração de Trump. É despedido dois dias após dar uma entrevista

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu afastar o controverso Steve Bannon do cargo de chefe de estratégia principal da Casa Branca, avançou o New York Times, citando fontes próximas da administração. Após a publicação desta informação, a Casa Branca confirmou a demissão de Bannon.

Segundo o jornal, Trump disse aos assessores que queria despedir Bannon e discutiu com os mesmos, ainda esta sexta-feira, qual seria a melhor altura para o fazer.

Porém, fonte próxima de Bannon garante que o responsável já teria submetido a carta de demissão a 7 de agosto e a saída do cargo deveria ter sido anunciada esta semana, mas fora adiada devido aos incidentes em Charlottesville, Virginia, em que morreram três pessoas.

Bannon é uma das figuras mais polémicas da administração de Trump e a sua nomeação levantou críticas de vários lados. Começou por fazer também parte do Conselho de Segurança Nacional, onde são discutidos assuntos de segurança nacional, mas perdeu este privilégio em abril, quando foi afastado por Trump.

Agora, deixa de ser chefe de estratégia, o último cargo que o prendia à Casa Branca.

O homem de 63 anos era responsável pelo site de notícias da extrema-direita Breitbart News e foi muitas vezes responsabilizado pelas visões extremistas de Trump. O próprio descreveu o site "uma plataforma da 'alt-right'", ou 'extrema-direita alternativa'.

Steve Bannon foi um dos colaboradores de Trump que ajudou a escrever o decreto assinado pelo presidente que bania a entrada de migrantes de sete países muçulmanos. Foi acusado várias vezes de antissemitismo e de ser próximo dos supremacistas brancos e escreveu há 10 anos um esboço de um guião de um documentário sobre os "Estados Islâmicos da América". O documentário, que não chegou a ser produzido, falava sobre o perigo da islamização dos Estados Unidos.

O afastamento de Bannon é divulgado dois dias após ter dado uma rara entrevista em que chamou a extrema-direita de "monte de palhaços" e desmentiu Trump. O estratega disse que "não há uma solução militar para as ameaças nucleares da Coreia do Norte", quando dias antes o presidente tinha dito que todas as soluções militares estavam preparadas.

Bannon disse aos colegas que pensou que não foi a sua intenção dar uma entrevista. O estratega pensou que estava a falar "off the record", ou seja, que as suas palavras não seriam reproduzidas pelo jornalista.

Na altura em que a entrevista foi publicada, várias pessoas relembraram que Anthony Scaramucci foi despedido do cargo de diretor de comunicação da Casa Branca após dar uma entrevista em que insultava funcionários da Casa Branca, incluindo Bannon.

Ler mais

Exclusivos