Trump acusa Soros de fazer campanha contra Kavanaugh

Presidente norte-americano desferiu ataque pouco antes de os republicanos terem confirmado o juiz Brett Kavanaugh numa penúltima votação. Voto final acontece no sábado.

Donald Trump acusou o milionário George Soros de financiar manifestações contra Brett Kavanaugh, pouco antes de uma votação no Senado sobre a nomeação do juiz conservador para o Supremo Tribunal.

"As manifestantes muito mal-educadas aos gritos no elevador são profissionais pagas para dar uma má imagem de senadores. Não se deixe enganar!", escreveu Trump no Twitter, para logo a seguir dizer que os autores do protesto são "pagos por Soros e outros".

A fundação do norte-americano de origem húngara George Soros contribui para várias organizações não-governamentais que atuam na área dos direitos humanos e na ajuda aos refugiados.

O primeiro-ministro húngaro Viktor Orbán elegeu Soros como inimigo do seu governo nacionalista e iliberal. O encerramento de uma universidade financiada por Soros é a face mais visível da perseguição. É também comum a extrema-direita norte-americana lançar ataques a George Soros.

Milhares de manifestantes manifestaram-se em Washington na quinta-feira para pedir aos senadores que votassem contra a nomeação de Brett Kavanaugh para o o Supremo Tribunal. Alguns entraram num edifício do Senado para tentar convencer os senadores indecisos. Cerca de 300 foram detidos por um breve período.

Dias antes duas mulheres conseguiram acercar-se do senador republicano Jeff Flake num elevador do Congresso e pedir que reconsiderasse o seu sentido de voto. Flake pediu uma investigação ao FBI sobre as suspeitas relativas aos alegados abusos de Kavanaugh.

Os senadores fizeram as deliberações finais na sexta-feira, com 51 votos favoráveis (os republicanos) e 49 contra (os democratas). A votação final decorre no sábado.

A candidatura ao Supremo Tribunal do conservador Brett Kavanaugh, escolhido por Donald Trump, divide os Estados Unidos. No entanto, assegura Trump, esta campanha dos democratas acabará por jogar a favor dos republicanos. "A resistência alimentada pela raiva vai virar-se contra eles", afirmou num comício em Rochester, no Minnesota.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".