Trump acusou Canadá de incêndio da Casa Branca em 1814

"Por acaso, não nos queimaste a Casa Branca?!", questionou Donald Trump, dirigindo-se a Justin Trudeau, durante uma conversa telefónica

O Presidente de Estados Unidos atribuiu hoje ao Canadá o incêndio da Casa Branca que, de facto, foi feito pelas tropas britânicas, durante a guerra anglo-norte-americana, em 1814.

"Por acaso, não nos queimaste a Casa Branca?!", questionou Donald Trump, dirigindo-se a Justin Trudeau, durante uma conversa telefónica, ocorrida em 25 de maio, a propósito da imposição de direitos alfandegários às importações de aço e alumínio por parte dos EUA, segundo a cadeia televisiva CNN, que cita fontes anónimas.

Desde que Trump anunciou que estava a ponderar estas medidas protecionistas, a Casa Branca defendeu a decisão com argumentos de segurança nacional. Contudo, este argumento tem sido questionado tanto por peritos como por dirigentes políticos.

Com efeito, durante uma entrevista realizada no passado fim de semana, com as taxas alfandegárias já em vigor, o próprio Trudeau chegou a perguntar "em que universo é que o Canadá pode representar uma ameaça aos EUA".

Questionado sobre se o líder canadiano poderia considerar a observação de Trump como uma piada, a fonte citada pela CNN limitou-se a dizer que o impacto que esta medida vai ter no Canadá e na indústria dos EUA "não é tema de riso".

O incêndio que devastou a residência presidencial em 1814 foi causado pelas tropas britânicas, como represália por um ataque contra a então colónia britânica de Iorque, no Estado do Ontário, região que hoje integra o Canadá.

Esta não é a primeira vez que Trump faz uma afirmação que provoca a indignação dos canadianos, uma vez que em março gabou-se, perante as câmaras, de ter mentido a Trudeau, ao dizer que os EUA têm um défice comercial com o Canadá.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...