Tribunal tailandês rejeita recurso de espanhol condenado à morte

Se for concretizada, esta será a segunda execução desde 2009. A primeira foi em junho deste ano

Um tribunal de Banguecoque rejeitou esta sexta-feira o recurso do espanhol Artur Segarra, condenado à morte pelo homicídio de outro espanhol em 2016, na Tailândia, noticiou a agência espanhola EFE.

De acordo com os juízes, o recurso de Segarra não tinha "qualquer fundamento", tendo em conta as provas e os depoimentos reunidos pela polícia e que já tinham sido apresentados num tribunal de primeira instância.

O condenado garantiu à EFE que ia recorrer ao Supremo Tribunal para reverter a decisão.

Em junho, a Tailândia executou um condenado à morte, através de injeção letal, na primeira execução desde 2009.

Apesar de ser a primeira execução em nove anos, "a pena de morte continua em vigor, a lei ainda não foi alterada", disse na altura Tawatchai Thaikaew, responsável do Ministério da Justiça.

Desde 1935, foram condenadas à morte 325 pessoas, das quais 319 foram fuziladas. A partir de 2003, as autoridades passaram a aplicar a pena capital através de injeção letal, acabando com os fuzilamentos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).