Tribunal obriga mãe vegana a vacinar os filhos

Mulher queria que os filhos vivessem "sem toxinas"

Uma mãe foi obrigada por um dos mais altos tribunais britânicos, a vacinar os seus filhos, algo que não queria a fazer. A mulher, vegana, não queria que os filhos vivessem uma vida "com toxinas", mas o tribunal não ficou convencido com os seus argumentos.

Os veganos não utilizam nem consomem produtos derivados de animais.

"Lamento muito que a mãe veja a minha decisão como algo errado, mas o meu dever é claro", disse o juiz Mark Rogers, de acordo com o The Independent.

Assim, os dois rapazes, com dois e quatro anos, vão ser vacinados contra várias doenças incluindo a meningite, difteria, poliomielite e sarampo, entre outras.

A mãe, que só dá às crianças "produtos naturais", diz que o seu objetivo é que os corpos dos meninos "estejam livres de toxinas tanto quanto possível".

O filho mais velho já foi vacinado, mas a mãe argumenta que isso causou efeitos secundários, como eczema e tosse. Por outro lado, o pai das crianças diz que a mãe das crianças é "obsessiva, demasiado protetora e tem uma mente muito fechada". "Suspeita de toda a medicina convencional", acrescenta.

A mãe, cujo nome não foi revelado para proteger a identidade das crianças, disse ao tribunal que "sim, algumas vezes as vacinas funcionam, mas existe um grande risco".

"Ambos [os filhos] têm fortes sistemas imunitários para os protegerem das doenças", disse em tribunal a mãe, que não conseguiu que um médico comparecesse em tribunal para apoiar os seus argumentos.

"Não é natural ser injetado com elementos metálicos e, como vegana, vai contra as minhas crenças que os meus filhos sejam injetados com algo que foi feito a partir de células animais ou testado em animais", acrescentou.

O juiz Mark Rogers decidiu então que as crianças vão ser vacinadas, de acordo com os termos de uma lei de 1989, que permite ao tribunal sobrepor-se a decisões parentais para bem das crianças.