Tribunal de recurso egípcio anula condenação à morte de antigo Presidente Morsi

Morsi foi condenado à pena de morte em junho de 2015. Tribunal de recurso ordenou novo julgamento

Um tribunal de recurso egípcio anulou hoje a condenação à pena de morte do antigo presidente islamita Mohamed Morsi e ordenou um novo julgamento num tribunal criminal, indicou à agência France Presse uma fonte judicial.

Morsi foi condenado à pena de morte em junho de 2015 pelo seu papel nas evasões em massa de prisões e em ataques contra a polícia durante a revolta que afastou Hosni Mubarak do poder em 2011.

O tribunal de recurso anulou igualmente as condenações de cinco dos coacusados de Morsi, entre os quais o antigo guia supremo da Irmandade Muçulmana Mohamed Badie.

No mesmo julgamento, perto de uma centena de outras pessoas foram também condenadas à pena capital por contumácia. Estas não estão abrangidas pela anulação determinada hoje pelo tribunal.

No total, Morsi, o primeiro presidente egípcio eleito democraticamente, foi condenado em quatro julgamentos desde a sua destituição pelo exército em 2013.

Num processo por espionagem em benefício do movimento islamita palestiniano Hamas, do movimento xiita libanês Hezbollah e do Irão, o ex-presidente foi condenado a prisão perpétua.

Foi ainda condenado a 20 anos de prisão por violência contra manifestantes durante o seu curto mandato e, numa última decisão divulgada em junho de 2016, foi condenado novamente a prisão perpétua com outros 10 coacusados pelo roubo de "documentos relativos à segurança nacional" e a sua entrega ao Qatar, de acordo com a acusação.

Morsi está detido na prisão de Borg-el-Arab, perto de Alexandria.

Ler mais

Exclusivos