Traficantes lucraram 6 mil milhões com migrantes em 2015, diz Europol

Relatório do serviço europeu de polícia, hoje divulgado, classifica o tráfico de seres humanos como "o mercado em maior crescimento no que toca ao crime na Europa".

O documento, divulgado no dia do lançamento do Centro Europeu contra o Tráfico de Migrantes, refere que os gangues de traficantes de seres humanos ganharam cerca de seis mil milhões de euros em 2015 "podendo este valor duplicar ou triplicar este ano se persistir a atual crise migratória".

A Europol e as forças de segurança europeias identificaram, no decorrer do ano passado, 12 mil suspeitos de integrarem estes gangues, cujos membros são, sobretudo, oriundos de países como a Bulgária, o Egito, a Hungria, o Iraque e o Kosovo.

Os grupos criminosos concentram a sua atividade em cidades que ficam situadas na rota entre o Médio Oriente e os Balcãs, como sejam por exemplo Istambul, Izmir, Atenas ou Budapeste, mas também em cidades europeias como Berlim, Calais ou Frankfurt.

A Europol diz que, apesar de tudo, há poucas provas sobre a presença de "suspeitos de terrorismo" entre os migrantes e os refugiados que rumam à Europa sobretudo por causa da guerra. "Menos de 0,01% dos suspeitos de terrorismo têm ligação aos migrantes", declarou o diretor da Europol, Rob Wainwright.

No ano passado, mais de um milhão de migrantes e refugiados chegaram à Europa, sendo de esperar que a pressão sobre território europeu volte a aumentar com o início da primavera.

Com Reuters

Ler mais

Exclusivos