Tradição, cerveja e sacerdotes. Porque britânicos e holandeses votam à quinta-feira?

Reino Unido e Holanda deram o tiro de partida para as europeias, sendo que a maioria dos países só vai às urnas no domingo.

Os britânicos e os holandeses são os primeiros a votar nestas eleições europeias, cujos resultados só serão conhecidos no domingo, quando a maioria dos restantes estados-membros, incluindo Portugal, vai a votos. Mas porquê votar à quinta-feira?

Desde 1931 que todas as eleições gerais ocorrem neste dia da semana, tendo-se tornado tradição. Até 1918, as eleições decorriam até em vários dias em vários círculos eleitorais, mas isso foi alterado porque alegadamente beneficiava o partido que tinha mais sucesso no primeiro dia e influenciava o voto.

Na realidade, ninguém sabe por que é que a quinta-feira foi o dia escolhido, havendo contudo várias teorias.

Uma delas diz que o escrutínio não podia ser à sexta-feira, porque esse era o dia em que os trabalhadores recebiam o salário e normalmente acabavam o dia nos pubs. Aí, ficariam sujeitos a pressão dos cervejeiros, que eram tradicionalmente conservadores (e que antes até "subornavam" os eleitores com cerveja).

Por outro lado, ao domingo, temia-se que os eleitores pudessem ser influenciados pelo que o sacerdote, normalmente mais liberal, pudesse dizer.

A quinta-feira já era dia de mercado, pelo que muitas pessoas já teriam que viajar para ir à cidade e assim podiam exercer o seu voto sem mais problemas.

Nos anos 1970, houve duas eleições intercalares municipais (em Manchester Exchange em 1973 e Hamilton em 1978) que decorreram à quarta-feira, porque o Campeonato do Mundo de Futebol começava à quinta.

Em 2011, uma alteração na lei eleitoral estabeleceu que as eleições gerais devem acontecer na primeira quinta-feira de maio a cada cinco anos, mas o escrutínio pode ser antecipado e dar a volta a esta legislação. As urnas estão normalmente abertas das 7.00 às 22.00, para dar tempo de quem trabalha poder votar.

Eleições à quarta

Na Holanda, as eleições gerais são normalmente à quarta-feira, porque o governo quer dar à maioria dos eleitores a hipótese de expressarem o seu voto.

Por motivos religiosos, sexta, sábado e domingo não podiam ser escolhidos, tendo em conta as várias religiões: o dia santo dos cristãos é o domingo, mas o dos judeus começa na noite de sexta e prolonga-se pelo sábado, e o dos muçulmanos é também na sexta-feira.

Ter as eleições à segunda-feira, implicava que os preparativos tinham que ser feitos durante o fim de semana, os dias de descanso.

A quarta-feira foi escolhida porque muitas urnas de voto são colocadas em escolas primárias, sendo que a maioria destas escolas está fechada nas tardes de quarta-feira. Assim, as eleições disturbam o menos possível o tempo escolar.

Contudo, as eleições europeias realizam-se à quinta-feira, porque têm que decorrer dentro de um calendário pré-estabelecido com os restantes países europeus.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.