Tornado provoca dois mortos e vários feridos

Depois dos terramotos, foi a vez de um tornado deixar um rastro de destruição no centro do país. Veja os vídeos

Duas pessoas morreram e várias ficaram feridas devido à passagem de um forte tornado na Itália este domingo. Após uma série de terramotos nos últimos meses, foi a vez de um tornado causar destruição no centro do país, arrancando árvores e danificando edifícios e carros.

"Veio do mar e varreu o centro da cidade", afirmou Crescenzo Paliotta, o autarca de Ladispoli, segundo a AFP. "Havia barcos no porto que foram movidos mais de 100 metros", continuou.

Ladispoli, a 50 quilómetros de Roma, foi um dos municípios mais afetados pelo tornado, assim como o de Morlupo, Bracciano e a cidade de Roma. Nesta cidade está a decorrer uma enorme operação de limpeza e as escolas foram encerradas esta segunda-feira.

Imagens do tornado foram publicadas nas redes sociais e mostram a velocidade do vento.

Uma das vítimas morreu esmagada por uma árvore que caiu, em Cesano, e a outra após ser atingida por um tijolo arremessado pelo vento.

Segundo as previsões meteorológicas, o sul da Itália vai ser palco, ainda esta segunda-feira, de violentas tempestades e as autoridades de Florença emitiram um alerta de cheias.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

E uma moção de censura à oposição?

Nos últimos três anos, o governo gozou de um privilégio raro em democracia: a ausência quase total de oposição. Primeiro foi Pedro Passos Coelho, que demorou a habituar-se à ideia de que já não era primeiro-ministro e decidiu comportar-se como se fosse um líder no exílio. Foram dois anos em que o principal partido da oposição gritou, esperneou e defendeu o indefensável, mesmo quando já tinha ficado sem discurso. E foi nas urnas que o país mostrou ao PSD quão errada estava a sua estratégia. Só aí é que o partido decidiu mudar de líder e de rumo.