Podem subir para dez os mortos em tiroteio em escola secundária do Texas

Duas pessoas já foram detidas, ambos estudantes. Maioria das vítimas são alunos. Xerife confirma que foram encontrados engenhos explosivos na escola e nas áreas adjacentes

Pelo menos dez pessoas morreram num tiroteio na escola secundária de Santa Fé, em Galveston, no Texas. Em conferência de imprensa no local, o xerife Ed Gonzalez revelou que pode haver mais vítimas mortais, "oito a dez, incluindo alunos e alguns adultos", e que há um polícia ferido e internado.

Entretanto, em conferência de imprensa as autoridades afirmaram apenas avançarem nova contagem de vítimas quando o número de mortos for oficial.

O atirador foi detido e há outro suspeito sob custódia, disse o xerife - ambos estudantes, segundo o The New York Times.

Segundo relatos dos alunos nos media locais, o atirador entrou na escola e começou a disparar por volta das 7.30, hora local. Na escola andam 1400 alunos.

Além do autor do ataque, um aluno de 17 anos daquela escola que foi detido, González indicou que outra pessoa está a ser interrogada no âmbito deste caso, embora sem esclarecer o motivo.

Em conferência de imprensa, o xerife afirmou que a brigada de minas e armadilhas da polícia descobriu despositvos explosivos na escola e nas áreas adjacentes. Por causa do risco das explosão, as autoridades pedem a todos "para ter atenção a coisas que pareçam fora do local e para não tocare em nada".

O presidente dos Estados Unidos já manifestou a sua preocupação no Twitter: "As primeiras notícias não dão boas indicações." Donald Trump comentou a situação em conferência de imprensa dizendo que "isto acontece há demasiado tempo, demasiados anos, demasiadas décadas" e que a sua administração está disposta a fazer tudo para proteger os alunos, manter as escolas seguras e manter as armas fora das mãos daqueles que são uma ameaça".

À ABC13 testemunhas contaram que após ter soado o alarme, os professores acompanharam os alunos numa correria pelo campo, até ficarem fora de perigo.

A escola secundária foi fechada após o ataque e os distritos escolares vizinhos foram colocados em "modo de proteção" por precaução.

Veja no tweet da CBS News relatos do caos vivido esta sexta-feira na primeira pessoa.

Este tiroteio acontece quando os Estados Unidos ainda estão a recuperar do massacre num liceu da Florida que matou 17 pessoas.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

"Corta!", dizem os Diáconos Remédios da vida

É muito irónico Plácido Domingo já não cantar a 6 de setembro na Ópera de São Francisco. Nove mulheres, todas adultas, todas livres, acusaram-no agora de assédios antigos, quando já elas eram todas maiores e livres. Não houve nenhuma acusação, nem judicial nem policial, só uma afirmação em tom de denúncia. O tenor lançou-lhes o seu maior charme, a voz, acrescida de ter acontecido quando ele era mais magro e ter menos cãs na barba - só isso, e que já é muito (e digo de longe, ouvido e visto da plateia) -, lançou, foi aceite por umas senhoras, recusado por outras, mas agora com todas a revelar ter havido em cada caso uma pressão por parte dele. O âmago do assunto é no fundo uma das constantes, a maior delas, daquilo que as óperas falam: o amor (em todas as suas vertentes).

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?