Tiroteio em desfile náutico de Carnaval mata três pessoas

Um homem que estava a bordo de uma lancha abriu fogo sobre os ocupantes de outra embarcação

Três pessoas morreram e cinco ficaram feridas num tiroteio entre ocupantes de dois barcos que participavam num desfile náutico de Carnaval na cidade colombiana de Tumaco, revelaram hoje as autoridades locais.

O incidente terá ocorrido durante as celebrações do Carnaval do Fogo, uma festa tradicional de Tumaco, no momento em que era feita a apresentação das candidatas a rainha da festa, relata o jornal El Pais, de Cali, citado pela agência EFE.

Durante o desfile náutico, um homem que estava a bordo de uma lancha abriu fogo sobre os ocupantes de outra embarcação.

O governador da província de Narino, Camilo Romero, condenou o ocorrido, garantindo que as autoridades "estão a trabalhar para prender os responsáveis" pelo tiroteio.

"Foi algo terrível, estávamos perto da lancha contra qual atiraram, éramos 14 pessoas a bordo, incluindo crianças, e tivemos de nos atirar à água para não morrer. Foram momentos de pânico", relatou uma das testemunhas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.