Televisão pública japonesa emite por engano alerta de míssil norte-coreano

A estação televisiva disse que a informação incorreta resultou de um erro de um elemento da equipa que estava a trabalhar no sistema de alerta para notícias online

A televisão pública japonesa emitiu hoje por engano um alerta aos cidadãos de lançamento de um míssil norte-coreano, instando-os a procurarem imediatamente refúgio, e só alguns minutos depois corrigiu a informação, dias após um erro semelhante no Hawai.

A estação televisiva NHK difundiu a mensagem na sua página na Internet e serviço noticioso para telemóveis, e também na rede social Twitter, dizendo que aparentemente a Coreia do Norte tinha disparado um míssil contra o Japão e que o Governo estava a aconselhar as pessoas a procurarem abrigo.

"A Coreia do Norte parece ter disparado um míssil", noticiou a NHK, acrescentando que tinha sido emitido um aviso governamental: "O Governo: Procurem refúgio dentro de edifícios e em caves".

O falso alarme ocorreu apenas alguns dias depois de a Agência de Gestão de Emergências do Estado norte-americano do Hawai ter enviado um alerta de míssil norte-coreano para telemóveis de todo o Estado, desencadeando o pânico.

A NHK disse que a informação incorreta resultou de um erro de um elemento da equipa que estava a trabalhar no sistema de alerta para notícias 'online', mas não forneceu mais pormenores.

Limitou-se a apagar o 'tweet' e o texto do alerta ao fim de vários minutos, enviar uma correção e pedir diversas vezes desculpa na emissão noticiosa e noutros programas.

"O 'flash' foi um erro. Pedimos muita desculpa", disse a estação japonesa.

No Japão, a tensão relativamente a testes de mísseis norte-coreanos tem aumentado à medida que eles se aproximam das costas japonesas.

A NHK e outros órgãos de comunicação social do país geralmente emitem alertas para cada teste balístico, e o Governo emitiu avisos sempre que os mísseis entraram em espaço aéreo nipónico.

O Japão está também a aumentar a sua capacidade de interceção de mísseis e a realizar em todo o país simulações de ataque com mísseis, nas quais os habitantes, incluindo crianças em idade escolar e pessoas idosas, se dirigem para centros comunitários, protegem a cabeça e se agacham no chão. Está prevista uma grande simulação na baixa de Tóquio na próxima semana.

Ao contrário do falso alarme do Hawai, o alerta da NHK não continha a frase "Isto não é uma simulação", e a TV japonesa conseguiu corrigir o erro alguns minutos depois, ao passo que as autoridades havaianas demoraram 40 minutos a retirar o alerta.

A agência havaiana já mudou os seus protocolos para exigir que duas pessoas enviem um alerta e tornou mais fácil o cancelamento de um falso alarme.

Ler mais

Exclusivos