Tailândia quer proibir muay thai a menores de 12 anos depois de morte

Ministro do Desporto estará a preparar uma reforma da lei sobre o muay thai, o boxe tailandês.

A Tailândia quer proibir a prática da arte marcial mais popular naquele país a menores de 12 anos e obrigar ao uso de proteções até aos 15, depois da morte de um jovem de 13 anos no sábado.

De acordo com os 'media' locais, o ministro do Desporto está a preparar a reforma da lei que incide sobre o boxe tailandês, o muay thai.

"O ministério vai acelerar o processo para ser apresentado ao Governo o mais rápido possível", disse Weerasak Kowsurat, citado pelo jornal Bangkok Post.

Atualmente, a lei tailandesa não estabelece nenhuma idade mínima para a participação de crianças e jovens em lutas de boxe e apenas recomenda que os menores de 15 anos devem combater com proteções.

Anucha Thasako, de 13 anos, morreu de uma hemorragia cerebral durante uma luta no sábado, um evento de caridade dentro do templo de Samut Prakan, nos arredores de Banguecoque.

O menor foi atingido por um soco na terceira ronda e foi levado para o hospital, onde acabou por morrer.

De acordo com a imprensa local, Anucha treinava boxe tailandês desde os oito anos e já tinha participado em de cerca de 170 lutas.

O boxe tailandês é um dos desportos mais populares na Tailândia, praticado por milhares de crianças, a maioria delas oriundas de famílias pobres que lutam para obterem mais rendimentos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

CPLP

Do ciclone às dívidas ocultas: as quatro tragédias de Moçambique

Ciclone Idai, escândalo das dívidas ocultas, conflito com grupos armados no norte e reconciliação lenta e pouco suave entre a Frelimo (no poder) e a Renamo (maior partido da oposição) marcam a realidade de Moçambique, país da CPLP com 29,7 milhões de habitantes que tem eleições gerais marcadas para 15 de outubro.