Crianças e treinador em cerimónia budista para os proteger de infortúnios

As 11 crianças e o treinador sentaram-se e juntaram as mãos ao som de cânticos budistas

Onze crianças e o treinador de futebol resgatados de uma gruta na Tailândia participaram hoje numa cerimónia budista destinada a protegê-los de futuros infortúnios, um dia depois de terem sido tido alta do hospital de Chiang Rai.

As 11 crianças e o treinador sentaram-se e juntaram as mãos ao som de cânticos budistas, numa cerimónia à qual se juntaram parentes e amigos e na qual só não marcou presença um dos jovens que é muçulmano.

Na quarta-feira, os meninos e o técnico enfrentaram os 'media' pela primeira vez desde a sua provação, descrevendo o seu choque ao ver os mergulhadores britânicos que os encontraram dez dias depois do seu desaparecimento a 23 de junho.

A operação de resgate foi concluída 18 dias após terem ficado presos no interior da gruta, parcialmente inundada, tendo causado a morte de um antigo mergulhador da marinha tailandesa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.