Suspeitas de fraude na petição que pede segundo referendo

77 mil assinaturas já foram retiradas

A Comissão de petições do parlamento britânico está a investigar suspeitas de fraude na petição que pede um segundo referendo à saída ou permanência do Reino Unido na União Europeia e que já chegou às três milhões de assinaturas.

O inquérito tem a ver com o facto de algumas das assinaturas serem fraudulentas, pelo que a comissão já decidiu retirar da petição 77 mil, segundo informou hoje no Twitter.

Além disso, a comissão vai continuar a monitorizar a petição. Helen Jones, que preside ao organismo, afirmou através de um comunicado que as suspeitas de fraude estão a ser encaradas com seriedade, uma vez que "minam o processo da democracia parlamentar". Realça ainda que "as pessoas que estão a introduzir assinaturas falsas devem saber que estão a minar a causa que estão a apoiar".

Notando que "é claro que esta petição é muito importante para um substancial número de pessoas", a comissão vai analisá-la na próxima reunião, agendada para terça-feira, e decidir se agenda ou não um debate.

Os alertas para a possibilidade de fraude surgiram nas redes sociais. Segundo a Sky News, várias pessoas notaram que algumas assinaturas eram de fora do Reino Unido. Segundo as regras, apenas cidadãos britânicos ou residente no Reino Unido podem assinar estas petições, incluindo britânicos a viver no estrangeiro.

De acordo com o jornal The Telegraph, 39.411 habitantes da Cidade do Vaticano, onde reside o Papa, teriam assinado a petição no domingo de manhã, apesar da cidade-Estado não contar com mais de 800 pessoas.

Na isolada Coreia do Norte, um dos países do mundo com menos ligações à internet, 23.778 pessoas teriam dado o seu aval à petição.

Locais sem habitantes permanentes, como os territórios britânicos ultramarinos da Geórgia do Sul e das Ilhas Sandwich, situados a sul das ilhas Falkland (Malvinas), geraram mais de 3.000 assinaturas, cerca de 300 mais do que as provenientes do Território Antártico Britânico, onde vivem cerca de 400 cientistas.

Foram também registadas assinaturas de locais tão remotos como as ilhas de Aruba (101), Bermudas (564), China (432), Hong Kong (2.089), Japão (742), Venezuela (24) e as ilhas do Pacífico Sul de Tuvalu (18), Wallis e Fortuna (8) e Vanuatu (31).

A Sky News nota que esta petição tem mais assinaturas que qualquer outra do site do parlamento.

Também hoje, o criador da petição veio a público para esclarecer a sua posição quanto ao Brexit. É a favor, e considera que a petição foi sequestrada" pelos que eram contra.

A petição reivindica a introdução de uma norma que obrigue a convocar um segundo referendo caso a votação pela saída ou permanência na UE esteja abaixo de 60%, com uma participação de 75%, e contava com mais de três milhões de subscritores hoje à tarde.

Depois da vitória do 'Brexit', com 51,9% dos votos, no referendo na quinta-feira - que deixou o país profundamente dividido -, a página da Câmara dos Comuns na internet colapsou devido ao elevado número de pessoas que entraram para aderir à proposta.

Ler mais

Exclusivos